ADRIANA CALCANHOTTO • LP • REMIX SÉCULO XXI

• LP Amarelo Opaco

• Com Encarte

(P) 2020  Bolachão Discos

Made In Brazil

PRONTA ENTREGA

ENVIAMOS PRA TODO BRASIL

*Imagens ilustrativas

Faixas:

A1 Vambora (Discotek Ed & DJ Zé Pedro Remix)

A2 Mentiras (Vizcaya Remix)

A3 Ninguém Na Rua (Tin God & DJ Zé Pedro Remix)

B1 Cantada (Vizcaya Remix)

B2 Esquadros (Vizcaya Remix)

B3 Senhas (Vizcaya Remix)

 

SOBRE O DISCO:

"A matéria prima de Adriana Calcanhotto é a vanguarda.

Sua canção minimalista se alimenta de ídolos como Hélio Oiticica e Waly Salomão além de movimentos como o tropicalismo e a Semana de 22.

Ao mesmo tempo, Adriana pode recriar “Music” da Madonna com toques de Carmen Miranda, utilizar samples e pedal de efeitos em seus shows ou até mesmo trazer o controvertido funk para o seu universo musical.

Remix é uma linguagem utilizada permanentemente e com grande sucesso no mundo todo.

Ironicamente, aqui no brasil passamos por fases. Sazonalmente, surge um novo estilo eletrônico trazendo consigo hits considerados subversivos pelos puristas da mpb mas que ao mesmo tempo lançam ou provocam o renascimento de artistas que só conseguem se manter nas paradas através dessa linguagem. Ou seja, remix é palavra existente/resistente na nossa música.

Em 2002, Adriana autorizava a primeira transgressão feita por um DJ: “Jogo Linguístico”, uma colagem provocativa de algumas de suas canções numa só track e presente no meu primeiro álbum “Música Para Dançar”. O preço dessa minha ousadia foi, ao longos dos anos, ser procurado por produtores querendo me apresentar suas “manobras” dentro da obra de Adriana Calcanhotto, me levando inconscientemente à tarefa de curador de um disco que só agora aceito com prazer, visto que surgiram seis faixas irresistíveis.

“Mentiras”, “Esquadros”, “Senhas” e “Cantada” foram produzidas por George Mendez que nasceu em Pernambuco e firmou seu talento na Europa, onde morou durante 15 anos. Pesquisador atento da obra de Adriana, ele assina as quatro faixas como Vizcaya, seu projeto de remixes. Para as faixas “Vambora” e “Ninguém Na Rua” convoquei dois produtores também brasileiros e residentes em Londres: Fernando Britto do projeto Tin God e Eduardo Herrera do Discoteked, adoradores de house music e synthpop.

Sendo um projeto inesperado na discografia de Adriana Calcanhotto e por isso tornando-se um item de colecionador, “Remix Século XXI” chega com exclusividade em disco de vinil, em tiragem limitada e com projeto gráfico completo.

E chega de conversa.

Vamos para a pista.

DJ Zé Pedro”

 

LP Adriana Calcanhotto - Remix Século XXI (LP Amarelo Opaco)

R$159,90 R$140,00
LP Adriana Calcanhotto - Remix Século XXI (LP Amarelo Opaco) R$140,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

ADRIANA CALCANHOTTO • LP • REMIX SÉCULO XXI

• LP Amarelo Opaco

• Com Encarte

(P) 2020  Bolachão Discos

Made In Brazil

PRONTA ENTREGA

ENVIAMOS PRA TODO BRASIL

*Imagens ilustrativas

Faixas:

A1 Vambora (Discotek Ed & DJ Zé Pedro Remix)

A2 Mentiras (Vizcaya Remix)

A3 Ninguém Na Rua (Tin God & DJ Zé Pedro Remix)

B1 Cantada (Vizcaya Remix)

B2 Esquadros (Vizcaya Remix)

B3 Senhas (Vizcaya Remix)

 

SOBRE O DISCO:

"A matéria prima de Adriana Calcanhotto é a vanguarda.

Sua canção minimalista se alimenta de ídolos como Hélio Oiticica e Waly Salomão além de movimentos como o tropicalismo e a Semana de 22.

Ao mesmo tempo, Adriana pode recriar “Music” da Madonna com toques de Carmen Miranda, utilizar samples e pedal de efeitos em seus shows ou até mesmo trazer o controvertido funk para o seu universo musical.

Remix é uma linguagem utilizada permanentemente e com grande sucesso no mundo todo.

Ironicamente, aqui no brasil passamos por fases. Sazonalmente, surge um novo estilo eletrônico trazendo consigo hits considerados subversivos pelos puristas da mpb mas que ao mesmo tempo lançam ou provocam o renascimento de artistas que só conseguem se manter nas paradas através dessa linguagem. Ou seja, remix é palavra existente/resistente na nossa música.

Em 2002, Adriana autorizava a primeira transgressão feita por um DJ: “Jogo Linguístico”, uma colagem provocativa de algumas de suas canções numa só track e presente no meu primeiro álbum “Música Para Dançar”. O preço dessa minha ousadia foi, ao longos dos anos, ser procurado por produtores querendo me apresentar suas “manobras” dentro da obra de Adriana Calcanhotto, me levando inconscientemente à tarefa de curador de um disco que só agora aceito com prazer, visto que surgiram seis faixas irresistíveis.

“Mentiras”, “Esquadros”, “Senhas” e “Cantada” foram produzidas por George Mendez que nasceu em Pernambuco e firmou seu talento na Europa, onde morou durante 15 anos. Pesquisador atento da obra de Adriana, ele assina as quatro faixas como Vizcaya, seu projeto de remixes. Para as faixas “Vambora” e “Ninguém Na Rua” convoquei dois produtores também brasileiros e residentes em Londres: Fernando Britto do projeto Tin God e Eduardo Herrera do Discoteked, adoradores de house music e synthpop.

Sendo um projeto inesperado na discografia de Adriana Calcanhotto e por isso tornando-se um item de colecionador, “Remix Século XXI” chega com exclusividade em disco de vinil, em tiragem limitada e com projeto gráfico completo.

E chega de conversa.

Vamos para a pista.

DJ Zé Pedro”